Ana Cecília Novaes

Mineira adotada por uma Grande Campina. Viajante de estradas ecleticamente delineadas por seus inconscientes errantes, essa poeta torta de sussurros afônicos não almeja nada mais que fazer ressoar entre as alvoradas gotas de um orvalho que escorre da face do invisível para seu próprio coração de criança, criando, se não for muita ousadia, âncoras onde ela (e quem sabe, nós) possa encontrar seu porto seguro.

Um expresso forte com canela...

                - Não... s-sim! Não é bem assim! T-tudo bem! Ora, não seja dramática! Não! Mas que absurdo! Escut... escute... Tente me escut... Mas é claro que NÃO, TITIA! – Acabei por falar muito mais alto do que havia planejado, fazendo com que meia dúzia dos clientes daquela pequena (e acúst...

EM TEMPOS DE PANDEMIA: Um recado, um adendo, um café...

Ah, finalmente se dispuseres a me ouvir...             Há quanto tempo venho batendo em suas casas, gritando em suas janelas, implorando aos teus ouvidos que abrissem as portas de teu universo para que eu entrasse...           ...

Reflexos...

                - É só um s-s-sapo... uma sapo g-gosmento e m-molhado, m-mas só um sapo... – sussurrei para mim mesma, não sabendo ao certo porque sussurrava, já que não havia ninguém além de mim e vários anfíbios e insetos à espreita naquele fim de mundo. H...

Véspera de Natal

                 - UM “BATE O SINO” COM CHANTILLY EXTRA E COBERTURA DE CARAMELO PARA A MESA QUATROOOO! – urrou o pobre coitado atendente em direção a uma pequena abertura na parede que provavelmente separava a cozinha da cafeteria do que agora parecia ser uma convenção de caos, suor e “cheg...

Na livraria...

           - MAS ISSO É UM ABSURDO! – bradou uma voz esganiçada, lançada em plenos pulmões qual uma flecha em direção certeira ao irredutível (e irritantemente calmo) dono daquela livraria local que era, diga-se de passagem, quem atendia ao caixa, naquele momento. Olhei em direção ao som acalorado da ...

Horizontes

             Já deve ser próximo das quatro horas da manhã, mas realmente isso é apenas uma formalidade para que você, meu caro, entenda as circunstâncias em meio às quais lhe escrevo estas palavras (ou sussurros, considerando que devemos respeitar aqueles que, diferentes de mim e tu (se estivesse aq...

Um dia no parque...

                - OLHA A BOLAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!                Mal tive tempo de olhar em direção à voz quando senti o impacto de algo pesado colidindo contra meu corpo, me levando diretamente ao contato (íntimo demais, ...

No tempo que o tempo durar...

                - SeLá que ela está molta?                - Não seja ridículo! Gente morta não ronca alto desse jeito!                - E gente moLt...

Além da curva...

                E de lá, além da curva que vem de cá, o que pode estar...                É, meu caro amigo... aqui eu tive que parar. Pode me chamar de covarde, e talvez eu o seja, afinal, já que, assim que desci do trem e...

Tempo de recomeçar...

                - Ela realmente... hum... vai sentir muita falta de você, não é mesmo? – disse, com um olhar compreensivo, mas que não conseguia esconder o constrangimento, uma senhora que embarcava ao meu lado.              &n...

Ed - parte 5 (Fim...)

Com os nervos à flor da pele, virei-me vagarosamente, segurando a respiração, e deparei-me com aquela figura esquálida, os cabelos finos escapando da cartola impecavelmente contrastante com seu macacão azul escuro de zelador, onde repousava o misterioso crachá intitulado “Ed”. O semblante sereno e sorridente me fitava pacientement...

Ed - parte 4 (e se aproxima o fim...)

                Ainda sem fôlego pela descida apressada do sótão, cheguei ao quarto onde titia Gertrudes e eu estávamos hospedadas a tempo de ver Garibaldi Feliciano cutucando a mala de titia em busca, muito provavelmente, de petiscos (nada saudáveis, como e...

Ed - parte 3

- Garibaldi... – sussurrei entre os dentes. – Garibaldi Feliciano, seu gato abusado, se você não aparecer nesse instante eu juro que... – interrompi a manifestação mais honesta do meu desespero considerando que talvez aquela não fosse a forma mais inteligente de convencer alguém (ou um gato mimado) a sair de onde quer que ele esti...

Ed - parte 2

(Atenção! Este texto é continuação da história iniciada em "Ed - parte 1"! Por isso, sugiro que se aventure por aquele mistério antes de embarcar na continuação dessa aventura! Boa leitura, e até breve!)                - Ah, não é maravilhoso?!! Eu disse a você que essa viagem valeria à pena, qu...