Blogs e Colunas

AMAR E SER AMADO

12 de Janeiro de 2020 às 13h25

Werlany Maciel (@espirita_cg)

ver todas as postagens »

Na pergunta 204 de O Livro dos Espiritos - Allan Kardec temos:
__Desde que tivemos muitas existências, o parentesco remonta às anteriores?    

R: Não poderia ser de outra maneira. A sucessão das existências corpóreas estabelece entre os Espíritos liames que remontam às existências anteriores; disso decorrem frequentemente as causas de simpatia entre vós e alguns Espíritos que vos parecem estranhos.

Nossas buscas de felicidade poderão percorrer vários caminhos, mas todas elas serão frustradas se não descobrirmos que só existe uma única fonte de realização profunda: O AMOR. E isso se estende também para os solitários. Por isso que, o amor próprio é essencial e antecede qualquer outro, já que só oferecemos aquilo que possuímos.

Joanna de Ângelis enfatiza:
O ser humano necessita do calor afetivo de outrem, mediante cuja conquista amplia o seu campo de emotividade superior, desenvolvendo sentimentos que dormem e são aquecidos pelo relacionamento mútuo, que enseja amadurecimento e amor. 
O fluxo da vida humana se manifesta através dos relacionamentos das criaturas umas com as outras, contribuindo para uma melhor e mais eficiente convivência social. Nas expressões mais primárias do comportamento, o instinto gregário aproxima os seres, a fim de os preservar mediante a união de energia que permutam, mesmo que sem se darem conta.
O desafio do relacionamento é um gigantesco convite ao amor, a fim de alcançar a plenitude existencial.
Todo relacionamento humano é uma via de mão dupla que se estabelece, sobretudo, pelo prazer e compensações emocionais que proporciona aos envolvidos; e ele não morre por si mesmo. E muitas relações definham, lentamente, porque as pessoas não compreendem o quanto ou que tipo de manutenção, tempo, trabalho e cuidados elas requerem.

Joanna de Ângelis ainda comenta:
Trata-se de excelente lição para uma feliz convivência, um produtivo relacionamento, respeitando-se sempre os valores daquele a quem se busca, sua privacidade, seus sentimentos, suas conquistas e prejuízos, que fazem parte da sua realidade pessoal.
Os relacionamentos de qualquer natureza dependem sempre do nível de consciência daqueles que estão envolvidos. Havendo maturidade psicológica e compreensão de respeito pelo outro, facilmente se aprofundam os sentimentos, mantendo-se admirável comunhão de interesses e afinidades, que mais se intensificam, à medida que as circunstâncias permitem o entrosamento da convivência.