08/02/2019 às 14h40

Polos magnéticos da Terra estão se movendo 'muito rápido'

Mudança se dá principalmente entre o Canadá e a Sibéria

Revista Encontro

De acordo com estudo publicado na renomada revista científica Nature, os polos magnéticos da Terra estão se movendo "rapidamente" do Canadá para a Sibéria, na Rússia.

Cientistas da Agência Nacional de Inteligência Geoespacial dos Estados Unidos e do Centro Geográfico de Defesa do Reino Unido estão se preparando para atualizar no dia 15 de janeiro o Modelo Magnético Mundial (WMM, na sigla em inglês). O WMM é uma grande representação do campo magnético da Terra e é nele que se baseia toda a navegação moderna, desde os sistemas que orientam os navios no mar até o Google Maps,muito usado nos smartphones. Mas, agora, pesquisadores constataram que o modelo vigente é impreciso.

Apesar da versão mais recente do modelo ter sido estabelecida em 2015, prevista para se manter atual até 2020, a "repentina e rápida" mudança no campo magnético do nosso planeta fez com que os cientistas atualizassem novamente o WMM.

"O desvio está aumentando o tempo todo", comenta o geomagnetista Arnaud Chulliat, da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, citado no artigo científico.

A razão de tal mudança está dentro da Terra: a agitação do núcleo terrestre líquido gera a maior parte do campo magnético. Os fluxos tendem a mudar ao longo do tempo. Em 2016, parte do campo magnético acelerou profundamente sob o norte da América do Sul e no leste do oceano Pacífico.

No início de 2018, constatou-se que o modelo magnético era impreciso, chegando a ocasionar erros de navegação. A situação piorou ainda mais devido ao pulso geomagnético de 2016 sob a América do Sul e ao movimento do polo magnético. Satélites como a missão Swarm, lançada em novembro de 2013 pela Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla original em inglês), acompanharam a mudança.

O polo norte magnético tem mudado constantemente do Ártico canadense para a Sibéria nos últimos tempos. A velocidade também aumentou nas últimas décadas, de cerca de 15 km anuais para até 55 km.

"O fato de o polo estar mudando torna essa região mais propensa a grandes erros de navegação", diz Chulliat.

A principal questão para os pesquisadores é descobrir por que os campos magnéticos estão se alterando de forma tão "drástica". As possíveis razões se relaiconam com as ondas "hidromagnéticas" que surgem nas profundezas do núcleo da Terra e o fato de o movimento do polo magnético poder estar conectado a um jato de ferro líquido de alta velocidade abaixo do Canadá.

"A localização do polo magnético norte parece ser governada por duas grandes áreas de campo magnético, uma abaixo do Canadá e outra abaixo da Sibéria", afirma o geomagnetista Phil Livermore, da Universidade de Leeds, no Reino Unido, citado no mesmo artigo.