20/04/2018 às 08h55

Ana Rosa desmistifica espiritismo em Violetas na Janela

Espetáculo acontece nesse fim de semana em Aracaju

infonet.com.br Facebook Compartilhar

A atriz Ana Rosa desembarca em Aracaju nesse final de semana para apresentar o espetáculo ‘Violetas na Janela’, adaptação do livro homônimo de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho. A peça, que é sucesso há mais de 20 anos e chegou à sua 4ª temporada, utiliza de linguagem acessível e humor leve para desmistificar o espiritismo.

A história de Ana Rosa com o livro ‘Violetas na Janela’ começou lá em 1995, época que sua filha desencarnou com apenas 19 anos. Naquela época, a atriz e sua família, coincidentemente, foram presenteadas com a mesma obra. Ana Rosa já era adepta da doutrina espírita, e no mesmo ano, teve a oportunidade de criar um espetáculo para o Centro de Espiritismo que frequentava. Ela não pensou duas vezes e junto com seu marido Guilherme Corrêa adaptou a obra para os palcos. De lá pra cá, quatro temporadas com espetáculos por todo o Brasil e sessões lotadas.

Para quem não conhece, ‘Violetas na Janela’ mostra com simplicidade as experiências de Patrícia, uma garota que desencarnou aos 19 anos e acordou numa Colônia Espiritual onde a vida continua. O enredo fala de suas descobertas, dúvidas, necessidades, da busca pelo autoconhecimento, seus receios, afetos e seus amores. Ana Rosa produz e dirige a peça, e claro interpreta a jovem Patrícia.

A atriz garante que o espetáculo agrada a pessoa de todas as religiões. “Sempre gosto de deixar claro que o ‘Violetas na Janela’ não é um espetáculo somente para pessoas espiritas. Tanto é que uso como exemplo o filme ‘Ghost’, que tem uma mensagem linda, que as pessoas podem acreditar ou não, mas assistem e saem satisfeitas”.

Ana atribui o sucesso do espetáculo à forma simples de falar do espiritismo e compara o enredo à obra ‘Nosso Lar’, mas com uma linguagem simplificada. “O livro ‘Nosso Lar’ trata do espiritismo de uma forma científica e o ‘Violetas na Janela’ seria esse livro simplificado. Trata-se de um texto singelo com linguagem acessível e de fácil entendimento. Houve uma desmistificação do espiritismo para aqueles que não conheciam”, conta.

Ana Rosa descreve parte das mensagens que são transmitidas ao público durante o espetáculo. “A peça transmite uma mensagem bonita. Fala que a vida não termina com a morte e que somos responsáveis por tudo que fazemos aqui e agora. Fala da lei do retorno e das nossas responsabilidades enquanto seres encarnados, e que nós temos que fazer para ou outros o que queremos que façam para nós”, comenta.

Carreira


Ana Rosa é figura constante em produções televisivas e entrou no Guinness Book Brasileiro como a atriz que mais fez novelas e participações em mini séries gravadas em vídeo tape no Brasil. Mas para 2018, a atriz descarta novos trabalhos na TV. Atualmente, ela se divide entre Portugal, onde mora uma de suas filhas e seu neto, e o Brasil, onde vem a cada dois meses para apresentar o espetáculo.

‘Tenho viajado muito e as sessões são lotadas em cada cidade. Essa rotina me toma muito tempo, pois além de ser produtora, eu dirijo, atuo, e devido a processo de renovação do elenco, estou sempre reensaiando. Quando chego nas cidades, por ser figura conhecida, vou sempre fazer a divulgação. Então, gravar uma novela e fazer teatro ao mesmo tempo é complicado. A agenda e logística ficam difíceis”, explica.

por Verlane Estácio