29/12/2017 às 20h45

Depressão, temos como enfrentá-la usando o TDM

Pedro Coelho - Pres. ALEM Facebook Compartilhar

Para Organização Mundial da Saúde, a depressão é tida como o “Mal do Século”, sendo considerada a quarta principal causa de incapacitação. Entre algumas definições e conceitos, podemos dizer que tem como característica a perda ou diminuição de interesse e prazer pela vida, gerando angústia e prostração, algumas vezes sem um motivo evidente.

Sendo uma doença democrática, hoje a depressão atinge pessoas de todas as idades, segundo as pesquisas médicas. Neurotransmissores importantes para o cérebro sofrem um desequilíbrio, interferindo de forma significativa na sensação de bem-estar. Trazendo uma série de distúrbios fisiológicos ela provoca sintomas como: fraqueza, irritabilidade, ansiedade, baixa autoestima, falta de interesse por atividades que antes davam prazer, insônia, pensamentos negativos, ideias suicidas, dificuldade de concentração, problemas sexuais, incapacidade de trabalhar, entre outros.

Podendo ser diagnosticada após apurada avaliação médica, a depressão pode ser classificada em leve, moderada ou grave. Com casos que podem durar de semanas a anos de distúrbio. É importante o acompanhamento médico, geralmente uma ação conjunta de psiquiatra e psicólogo. Cada profissional trabalhará numa frente, a psiquiatria envolverá medicamentos antidepressivos que ajudam a regular a química cerebral, enquanto a psicologia buscará levantar as causas do problema e como ele poderá ser combatido.

Em pesquisa recente com os centros espíritas da capital Paulista, estimou-se que são realizados cerca de 27 mil atendimentos mensais a pessoas depressivas. O que mais assusta é a própria pesquisadora acreditar que o número real seja muito maior que o estimado. Se fizermos uma extrapolação da estimativa a nível Brasil, chegamos a algo surreal, um número acima de 1 milhão de pessoas com depressão recebidas nas casas espíritas do país. Concordando ou não, de alguma forma todos conhecemos alguém que apresenta ou já apresentou essa patologia. O grande problema é que para uma parte dessas pessoas que já tiveram, a saída não foi a recuperação. Isso nos deixa atônitos realmente! É chocante na vida de qualquer pessoa, conhecendo ou não, receber a notícia de que alguém desistiu da sua caminhada.

Aconteceu comigo e me impactou de forma significativa, quando, há exatos 21 dias, a mãe de um amigo de meu filho desistiu. O fato mexeu muito comigo e me gerou inúmeras reflexões. Há quase dois anos, após fazer um curso de reciclagem com novas técnicas e caminhos adotados pelo Magnetismo, ciência aplicada por Kardec por mais de 35 anos, voltei convicto que poderia ajudá-la a combater este mal. Foram várias tentativas na intenção de ter a oportunidade de aplicar-lhe o Tratamento de Depressão pelo Magnetismo (TDM), desde um livro presenteado sobre o assunto, conversa pessoal e ligações para sua assistente. E no último mês, usei de uma certa insistência nos convites para seu tratamento, mostrando que já tínhamos obtido resultados muito positivos na ALEM. Enfim, nada avançou nessa direção. Fica a sensação que poderia ter tentando mais, buscar outros caminhos. Perdi essa! Me sinto em parte culpado. Não desejo isso a ninguém. “A quem muito é dado muito será cobrado”.

Não quero perder mais nenhuma batalha contra a depressão e compartilho aqui com vocês uma possibilidade que trará um aumento nas chances de melhora de nossos irmãos que se encontram com essa problemática. Allan Kardec afirma que quando a ciência provar algo, mesmo contra o que ele dizia, sigam a ciência. O fato é que o passe que vem sendo aplicado como passe espírita, onde se utiliza apenas a técnica de imposição de mãos, pode trazer fatores complicadores aos necessitados. Mas para nossa felicidade, a Espiritualidade Maior nos enviou o TDM, proposta nascida dentro do Espiritismo e que hoje tem eficácia comprovada acima dos 90%, como um tratamento alternativo trabalhado em paralelo às propostas médicas da psiquiatria e psicologia na atualidade.

As técnicas TDM foram desenvolvidas e aplicadas nos últimos 10 anos, em milhares de pessoas em casas espíritas de todo o mundo, bem como, por outras denominações religiosas, ou mesmo pessoas sem qualquer envolvimento religioso. Em todas essas frentes, o índice de sucesso é extremamente significativo. Estamos falando em milhares de pessoas. Sim, milhares! Casos de pessoas com 5 e até 10 anos do distúrbio, pessoas com quadros graves, acamadas há mais de 2 anos, entre outros relatos. E os resultados? Todos com pleno reestabelecimento.

Espíritas e não espíritas, a dor do fracasso é menor que a dor do arrependimento. Ao ler este artigo, você agora sabe que existe uma possibilidade, e mais uma chance para um irmão que você saiba que está com sintomas de depressão. Então vale a pena indicar o caminho. E qual caminho é esse? O caminho é a ALEM (Associação Luminar de Espíritas Magnetizadores) que abre suas portas todos os domingos pela manhã, a partir da 8:00hs, na rua Dr. João Pequeno, 181 - Catolé, Campina Grande – PB.

Estaremos de braços abertos a todos os nossos irmãos de todas as crenças e credos. Jesus é o nosso modelo e guia!

Pedro Coelho
Pres. ALEM