Colunas

Rossandro Klinjey

‹ VEJA TODOS OS POSTS
25/06/2015 às 00h05

Ser gentil com os outros?

Facebook Compartilhar

Quando penso na gentileza penso na expressão gestual da fraternidade. Sim, por que não se transforma egoístas em anjos do dia para noite. Não se transforma barbárie em civilização de uma hora para outra e não mudamos a nós mesmos de hoje para amanhã. Leva tempo. Tempo para percebermos coisas aparentemente incompreensíveis, mas que um dia serão óbvias para nós.

Perceberemos, quando amadurecermos, que aquele outro para o qual eu devo dirigir meu sorriso, minha atenção, escuta e estender as mãos é o terreno fértil onde planto gestos que me serão certamente necessários no futuro.

Gestos são então sementes, e como tal devem ser plantados e também regados. Deixar aquela pessoa apressada passar no trânsito, sem iniciar uma competição insana com um desconhecido é um gesto de gentileza. Eu posso imaginar que ele está me desafiando, ou que alguém que ele ama está necessitando dele com urgência, ou ainda que a comida não lhe caiu bem e ele está doido pra chegar em casa o mais rápido possível.

Para ser gentil então eu tenho que me colocar no lugar do outro e ver suas necessidades como se fossem, pelo menos momentaneamente, minhas. Não importa quem seja este outro ou onde ele esteja, se ele precisa de minha gentileza tenho que alcançá-lo. Mas o mundo às vezes cria barreiras aparentemente intransponíveis entre nós e os outros. Lembremos, por exemplo, de um lamentável e recente episódio envolvendo os jogadores do time do Santos numa visita ao Lar Espírita Mensageiros da Luz, que cuida de crianças com deficiência cerebral para entregar ovos de Páscoa. Durante a visita parte dos atletas do Santos, entre eles, Robinho, Neymar, Ganso e Fabio Costa, se recusaram a entrar na entidade e preferiram ficar dentro do ônibus do clube, sob a alegação de que eram evangélicos.

Ainda bem que conheço muitos evangélicos comprometidos não com religião, mas com a verdade. Esses amigos e amigas evangélicos que respeito e admiro não só desceriam do ônibus para entregas os ovos de Páscoa às crianças, como também estenderiam as mãos para parabenizar os que fazem o Lar Espírita Mensageiros da Luz, pelo trabalho de doação, pois não negam o trabalho do bem, não importa de onde ele venha, entendendo o que Jesus disse a João: “...ninguém há que faça milagre em meu nome e possa logo falar mal de mim. Porque quem não é contra nós, é por nós.”(Marcos 9:39-40)

Para ser gentil temos que enxergar no outro esse solo fértil para as nossas ações no bem. Nesse terreno, devemos plantar de tudo, pois há uma infinidade de gentilezas para cultivar que atenuam uma infinidade de dificuldades e sofrimentos que muitos carregam em seus corações.

Aproveito e agradeço a gentileza de você ter lido este simples texto.