Blogs

Gilton Carlos

"Gilton Carlos é da cidade de Tucuruí, estado do Pará. Auxilia no Centro Espírita Allan Kardec, na mesma cidade, realizando palestras, coordenando o estudo do Evangelho, juventude e o grupo de arte espírita. Além disso, tem contribuído na divulgação da doutrina espírita com reflexões, mensagens e estudos no youtube e facebook (Espiritismo e Evangelho).

‹ VEJA TODOS OS POSTS
07/09/2018 às 09h15

Suicídio: Nada vai nos apartar do amor de Deus

Facebook Compartilhar

Para falar sobre este tema é preciso esclarecimento e compreensão.

O primeiro para informar, com todos os fatos, evidências e experiências proporcionadas pelos estudos espíritas que o suicídio nunca foi bem-sucedido.

E o segundo porque acima do conhecimento e da sabedoria deve estar o amor!

Os que não sofrem permanecem em confortável posição de analisadores. Mas aquele que chora não tem, muita vez, nem a companhia de sua própria razão para o aconselhar.

Na biblioteca espírita são vastas as descrições do engano cometido pelos suicidas, que na tentativa de acabar com um problema insuportável, criaram dois.

Porém, ainda nesta literatura podemos ter a certeza que aqueles que escolheram encerrar sua vida corpórea, encontraram na realidade espiritual alguns a dor atroz, outros o remorso sem fim, a loucura, talvez.

Mas, todos, sem exceção, tiveram ao lado o sentimento maior do universo a seu favor. Quase sempre na figura daqueles que os amam.

E acima de todos, pairando Deus, o Pai.

A lei divina é de justiça e amor.

São dois qualitativos que operam juntos. Ao mesmo tempo disciplina e educa, sem ferir ou ser complacente com o erro.

Por isso, a todos nós que tivemos alguém próximo que cometeu suicídio, saibamos que embora a dor e o sofrimento possam estar na companhia deles, nosso amor também pode alcançá-los.

O amor divino representado na terra pelos amigos, irmãos, pai... mãe são os recursos de soerguimento das almas caídas pela fraqueza moral diante das provas.

E pelo nosso conhecimento, temos a responsabilidade de não negar isso a eles.

E se Deus, Jesus, Maria mantém seus olhos bondosos nos suicidas, por nossa vez, discípulos do evangelho de amor, podemos também estender a eles o que temos de bom.

Aquilo que um dia nos foi oferecido também por Jesus.

A indiferença de nossa parte encontra a força da bondade a medida que entendemos a missão do Cristo de ensinar o amor.

E assim, vamos compreendendo que não importa a dimensão do erro, o alcance do engano e suas consequências, a bondade de Deus jamais condenará um filho ao sofrimento eterno ou irrevogável.

Foi isso que escreveu Paulo aos Romanos: “tenho certeza que nada pode nos apartar do amor de Deus, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem outras autoridades, nem o mundo de cima, nem o de baixo... Em todo o universo, não há nada que possa nos apartar do amor de Deus.




Conheça meu canal no youtube "Espiritismo e Evangelho". Todo sábado tem um vídeo novo lá.