@espiritaon #divulgandoobem
Colunas

Frederico Menezes

Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal de Pernambuco, publicitário e consultor na área de marketing e recursos humanos, vincula-se à Sociedade Espírita Casa do Caminho, em sua cidade natal. De oratória vibrante, é pessoa muito querida no Nordeste.

‹ VEJA TODOS OS POSTS
16/10/2016 às 08h15

Hora de mudar

Facebook Compartilhar

Qual é a hora de mudar? Sob a ótica do desenvolvimento espiritual, toda hora é a indicada para tal. A estagnação é o outro nome da palavra morte. E o espírito, tanto na carne ou na dimensão espiritual, necessita alcançar a compreensão que a vida é um processo extremamente dinâmico. Sempre é hora, portanto, de mudar, de rever valores, de tomar decisões e concretizar atitudes para o bem.

A sensação de marasmo e atonia é própria do ambiente que se situa a alma no que tange a permanecer estagnada. Daí, também, advém à sensação depressiva, a ausência de sentido e objetivo para a existência, o vazio na vida. A alma adoece. Sem o esforço da mudança não há como sair desse labirinto patológico.

Todo o universo encontra-se em constante transformação, em permanente mutação. Esta é a lógica da vida. Tudo o que se encontra em confronto com esta lógica aprisiona-se no marasmo, na queda, em confronto para com as leis soberanas da vida. Este é o sentido da expressão cunhada por Jesus quando se referiu que ele daria a quem fosse a ele vida, e vida em abundância. A vida rica de movimento, de ideais superiores, em harmonia para com os propósitos de Deus.

Quase sempre o ser humano é refratário às mudanças. Até quem as defende, muitas vezes, quando se vê convidado a empreendê-las, se inibe, se contrai ou tenta justificar porque não as realiza em si mesmo. Vencer a inércia é um dos grandes desafios para o ser que anseia tomar posse de sua herança divina. Para quem já ensaia o despertar, a hora para começar a mudança é esta e o tempo é agora.