@espiritaon #divulgandoobem
Colunas

Frederico Menezes

Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal de Pernambuco, publicitário e consultor na área de marketing e recursos humanos, vincula-se à Sociedade Espírita Casa do Caminho, em sua cidade natal. De oratória vibrante, é pessoa muito querida no Nordeste.

‹ VEJA TODOS OS POSTS
09/07/2016 às 12h55

Coração Acolhedor

Facebook Compartilhar

Um dos grandes desafios para qualquer ser que anseie viver a grande mensagem do cristianismo ou de qualquer seguimento religioso é o de tornar o próprio coração um centro de acolhimento. Um coração acolhedor é um coração aquecido, que inspira confiança. Tem tudo a ver com a Boa Nova. Como ser acolhedor preocupado em julgar, condenar, ressalvar diferenças, desprezando ou ficando indiferente? O papa Francisco acendeu a juventude, assim como toda a igreja católica, com sua expressão de simplicidade e acolhimento. Só uma alma simples torna-se acolhedora. É como que fosse ela capaz (e é) de derrubar qualquer muro, qualquer elemento que o distancie do outro. E o que mais carecemos no mundo é de almas que queiram se aproximar, líderes que saibam ser empáticos, vidas que se esmerem em magnetizar outras vidas, as estimulando para o bem e o belo.

A juventude, particularmente, tem sede de Deus, de espiritualidade legítima, de uma força que a estimule a fazer a diferença no mundo, dentro dos valores mais elevados da vida. Qualquer religião que se preze não pode desprezar a missão de falar aos jovens, em sua linguagem, na sinceridade, na palavra direta, sem rodeios e com a profundidade devida. Isso que eles precisam e desejam. O estereótipo de que o jovem não quer nada com a vida é de uma generalização arbitrária e própria de uma arrogância sem limites. O que eles não querem é uma religião distante da vida, de suas lutas, que não contemple sua realidade. Francisco disse em um dos seus discursos, que os jovens "são janelas por onde o futuro entra no mundo". Achei belíssima essa expressão. E ninguém melhor que Jesus para se entender com a juventude.

Evangélicos, católicos, espíritas, budistas, judeus, etc., devem focar o coração dos jovens, pois representam importante estrada para a edificação de um novo momento para a civilização. Eles representam um terreno preparado para a superação de uma visão de mundo voltada para a ilusão do poder, do consumismo desenfreado, do materialismo dissolvente. Jovens anseiam por valores. Mas precisam sentir em quem lhes fala o exemplo, para que acreditem e se movam. São grandes auxiliares para vencer o mal e estabelecer uma era de paz, amor e progresso espiritual. Tudo com a energia de um coração acolhedor.